Com o foco no aprimoramento das habilidades dos militares no trabalho de acompanhamento, escolta e proteção das autoridades do Poder Judiciário tocantinense, e com isso elevar seus conhecimentos, condicionar suas atitudes e melhorar a qualidade do serviço prestado de acordo com as áreas específicas de atuação, chegou ao fim, nesta quarta-feira (15/6), o curso de Estágio Avançado de Proteção de Autoridade, uma demanda da Comissão Permanente de Segurança Institucional (Copesi), Assessoria Militar da Presidência do Tribunal de Justiça do Tocantins (Asmil-TJTO) e Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional (NIS). 

O governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa, chegou a prestigiar um dos exercícios da formação, que começou no dia 6 de junho, e contou com a participação de representantes da Asmil, NIS, Ministério Público (MPTO), Casa Militar do Poder Executivo, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar. A capacitação englobou aspectos legais da atividade e direitos humanos, ameaças e atentados; atendimentos às emergências; deslocamento em comboio; escolha de itinerários; escoltas a pé e motorizada; inteligência e contrainteligência; noções de explosivos e varreduras; noções de sobrevivência em mata; operações aerotransportadas; planejamento de segurança precussão e avançada; serviço de proteção e de segurança de autoridades; e simulado de emboscada com airsoft e uso de armamento na proteção de autoridades.

"O curso de estágio em proteção de autoridades reforça o compromisso do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins em aprimorar a segurança institucional no âmbito do Poder Judiciário", ressaltou o presidente da Copesi, desembargador Pedro Nelson de Miranda Coutinho.

Modernidade

Para a chefe da Divisão de Inteligência do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do Tribunal de Justiça do Tocantins (NIS-TJTO), delegada Milena Lima, a formação apresentou técnicas modernas de proteção em uma área que necessita de formação contínua. “O curso foi idealizado de forma a oferecer ao aluno as técnicas mais modernas a serem empregadas na proteção de autoridades. As experiências dos instrutores permitem compreender a complexidade da matéria e necessidade da contínua capacitação”, frisou.

Prioridade

À frente da Asmil-TJTO, o coronel João Márcio Costa Miranda destacou que capacitações como essa são de suma importância para o aperfeiçoamento do processo de proteção e que devem ser tratadas como prioridade.
“Nós acreditamos que a qualificação profissional dos nossos colaboradores é sempre algo muito positivo e que deve ser encarada como prioridade. Neste sentido, a realização do Estágio Avançado de Proteção de Autoridades, curso este que faz parte do nosso plano de capacitação para o ano de 2022, vai proporcionar aos colaboradores da Assessoria Militar do TJTO e integrantes de instituições parceiras uma prestação de serviço com maior qualidade, até porque este tipo de serviço é a essência da nossa atuação junto ao Poder Judiciário tocantinense”, pontuou.

Texto: Samir Leão 
Comunicação TJTO