A Unidade Prisional de Tocantinópolis, município localizado a 570 km de Palmas, região do Bico do Papagaio, iniciou, nesta quinta-feira (16/9), atendimentos odontológicos com seus reeducandos, entre presos provisórios e condenados, após o sucesso de uma parceria entre o Poder Judiciário tocantinense, Ministério Público do Tocantins (MPE-TO) e a prefeitura da cidade.

Foi instalada em uma das salas da unidade uma cadeira odontológica repassada pelo município. Os atendimentos serão quinzenais, realizados por dentista e auxiliar cedidos pelo município, que também disponibilizou os insumos. Além dos privados de liberdade, poderão ser atendidos os servidores do local. A conquista do consultório se deu por meio de acordo numa ação civil pública com anuência do Judiciário.

Para oferecer os serviços, o Poder Judiciário disponibilizou os recursos para a preparação de uma sala na unidade, que cedeu mão de obra carcerária para as obras de instalações hidráulica e elétrica, revestimento do piso e paredes e instalação da pia. A implantação do consultório tem atuação direta do MPE-TO, no âmbito da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP).

Juiz destaca humanização

“Disponibilizar atendimento odontológico na Unidade Penal de Tocantinópolis aos internos constituiu mais uma etapa no contínuo processo de humanização do ambiente carcerário. É mais uma importante conquista implementada pelo Judiciário, possível apenas pela colaboração mútua do Poder Executivo municipal e do Ministério Público, sempre sensíveis às necessidades do local”, destacou o juiz titular da Comarca de Tocantinópolis, Helder Carvalho Lisboa.

De acordo com o diretor da Unidade, policial penal Adenilson Barros Nascimento, a implantação da cadeira odontológica traz benefícios para os internos e servidores, “porque com os atendimentos aqui, nós deixamos de acompanhar os presos aos consultórios dos dentistas; e isso melhora nossa qualidade de trabalho e a segurança de todos”, pontuou.

Texto: Ramiro Bavier

Foto: Divulgação Unidade Penal

Comunicação TJTO