Encerrado na último dia 30 (segunda-feira), o primeiro Leilão do Patrimônio Apreendido do Tráfico de Drogas no Tocantins arrecadou R$ 115 mil ao negociar 30 bens, entre carros, motos e itens diversos. Realizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, através da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), o leilão foi aberto para todo o Brasil, via página do site do ministério.

O leilão virtual, que tem o Tocantins como projeto piloto, foi viabilizado no ministério pela ação dos magistrados das varas criminais do Judiciário tocantinense.

De acordo com a organização, há ainda no Tocantins 161 bens parados em pátios de polícias e que podem ser vendidos em leilões futuros no Estado. Para que aconteça, é necessário que os agentes das polícias que os detêm insiram as informações na página do Projeto Check In https://bit.ly/2URPXzz. 

Efeito contra o tráfico

Quem adquire o bem, via leilão, fica isento de pagar eventuais multas e outras pendências anteriores ao seu arremate. De acordo ainda com o Ministério, os valores arrecadados têm efeito direto na descapitalização do tráfico de drogas, visto que 60% do montante é direcionado para ações de políticas de prevenção e de combate às drogas do Fundo Nacional Antidrogas (Funad). Já 40% do total é investido na segurança pública do estado que fez a apreensão, principalmente as polícias estaduais. 

Texto: Marcelo Santos Cardoso (com informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública)

Comunicação TJTO