"A participação nos eventos foi muito relevante, uma vez que objetivou o compartilhamento de experiências e a uniformização de práticas”, ressaltou o juiz Frederico Paiva Bandeira de Souza, ao fazer um balanço de sua participação no Colégio de Coordenadores da Infância e Juventude, no XXVI Fórum Nacional da Justiça Juvenil (Fonajuv) e no VIII Fórum Nacional da Justiça Protetiva (Fonajup), no final da última semana, em Maceió (AL), ao lado da juíza Julianne Freire Marques, licenciada do Juizado Especial da Infância e Juventude da Comarca de Araguaína em razão de estar ocupando o cargo de secretária-geral da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB).

Respondendo pela Juizado Especial da Infância e Juventude da Comarca de Palmas, o magistrado lembrou ainda que “determinadas reflexões do encontro são encaminhadas Conselho Nacional de Justiça (CNJ), porque o Colégio de Coordenadores tem assento no Fórum Nacional da Infância e Juventude(Fonij), que é o ‘braço’ da infância e juventude no CNJ".

CNJ e Foninj: Desafios e atualidades da infância e juventude no cenário nacional”, Reflexos do Marco Legal da Primeira Infância na Prevenção ao “Cometimento de Ato Infracional e Crianças Desaparecidas foram alguns dos temas debatidos durante os três eventos na capital alagoana.

Texto: Marcelo Santos Cardoso / Fotos: Divulgação

Comunicação TJTO