A diretoria do Centro de Comunicação Social (Cecom) do Tribunal de Justiça do Tocantins entregou à Presidência do TJTO, nesta segunda-feira (25/06), o troféu de 1º lugar no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça. Vencedor na categoria vídeo institucional, com o projeto "Ouvidoria Judiciária", o Tribunal já soma quatro troféus na premiação anual do Fórum Nacional de Comunicação e Justiça.

Os vencedores da 16ª edição do prêmio criado pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça foram anunciados durante o encerramento do Congresso Brasileiro de Assessores de Comunicação da Justiça, na última sexta-feira (22/06), em Cuiabá/MT. O TJTO foi finalista em duas categorias: vídeo institucional, conquistando o 1º lugar; e reportagem de TV, que ficou em segundo lugar com matéria sobre crimes cibernéticos. Ao todo, 286 trabalhos foram inscritos nas 15 categorias do Prêmio.

Para o presidente do TJTO, desembargador Eurípedes Lamounier, a premiação é reconhecimento a um trabalho comprometido com a missão do Judiciário, em busca de aproximar a Justiça do cidadão. "A equipe do Cecom tem feito um trabalho primordial no sentido de divulgar as boas ações do Judiciário, promovendo a transparência e a comunicação cada vez mais ampla e direta com o jurisdicionado", afirmou.

A Ouvidora Judiciária, desembargadora Ângela Prudente, e o diretor geral do TJTO, Francisco Cardoso, também participaram do momento de entrega do troféu à Presidência do TJTO. "O Tribunal está de parabéns pelo reconhecimento nacional desse trabalho em equipe, que demonstra o comprometimento e competência de todos os envolvidos; ficamos muito felizes em sermos vencedores com o vídeo que ressalta o papel que a Ouvidoria vem desempenhando para aprimorar cada vez mais o canal de comunicação com o cidadão", afirmou a magistrada. "O prêmio fala por si só; é mais um destaque à atuação da Comunicação na promoção de todo o trabalho duro que é feito pelo Judiciário, pautando sempre pela transparência", complementou o diretor geral do TJTO.

Assista aqui ao vídeo.

Texto: Paula Bittencourt / Foto: Rondinelli Ribeiro

Comunicação TJTO