Com o intuito de propagar a cultura da paz entre as famílias que passam por conflitos após o fim do casamento ou dissolução da união estável, o Poder Judiciário do Tocantins realizou, nesta sexta feira (27/4), no Forúm da Comarca de Palmas, mais uma edição da Oficina de Parentalidade.

Durante as quatro horas de oficina, foram repassadas orientações aos pais sobre o processo de separação, transmitindo informações relevantes sobre os efeitos negativos dos conflitos intensos e mal administrados nos filhos. Para o jornalista Carlos Gomes, um dos participantes do encontro, a oficina de parentalidade veio contribuir e ajudar para a resolução dos conflitos familiares. “Por mais que a separação seja amigável ela sempre causa um trauma na vida dos nossos filhos e a realização dessa oficina vem amenizar as situações conflituosas, principalmente no que diz respeito aos nossos filhos”, afirmou.

Além de 13 adultos, a oficina realizada nesta sexta-feira contou com a participação de duas crianças e dois adolescentes. Para a Rinka Pâmella Santos, de 16 anos, as orientações repassadas ajudarão a compreender melhor o momento que ela e a família estão vivenciando. "A oficina trouxe uma linguagem de fácil compreensão pra mim, e ajudará a lidar com a situação de separação dos meus pais”, disse.  

De acordo com coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Palmas, juiz Nelson Coelho Filho, as oficinas de Parentalidade são promissoras, uma vez que tendem a sanar os conflitos familiares antes que se instaure um processo judicial, promovendo o auxílio às famílias envolvidas bem como o empoderamento das partes. “Estamos abertos para atender as famílias que estão passando por problemas na separação e orienta-las com o intuito de apaziguar os conflitos”, garantiu.

Texto: Sthefany Simão / Fotos:  Rondinelli Ribeiro

Comunicação TJTO