Mais de 10 mil km foram rodados pelas estradas do Tocantins para levar às 42 comarcas do Poder Judiciário a importância do projeto Gestão de Pessoas por Competências. As últimas unidades já estão recebendo a visita do Comitê de Implantação. Nesta quarta-feira (29/10) a ação foi desenvolvida em Paraíso do Tocantins e acompanhada pela presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Ângela Prudente, além de juízes e servidores. Nesta quinta-feira, com a visita do comitê a comarca de Pium, será finalizado o ciclo das atividades nas 42 comarcas.
"O judiciário funciona com a participação e comprometimento de magistrados e servidores. O fundamental do projeto é a valorização do servidor, nós sabemos que temos várias potencialidades no Estado. Mas temos também um compromisso com a sociedade de oferecer serviços de qualidade e boa produtividade", ressaltou a presidente Ângela Prudente ao falar dos benefícios que o Gestão por Competências pode trazer para o judiciário.
Durante a apresentação do projeto para os servidores da Comarca a coordenadora do Comitê de Implantação, juíza auxiliar da presidência do TJ Silvana Parfieniuk, falou sobre a etapa de avaliação das competências. "Com o Gestão por Competências vamos conhecer melhor os servidores, e assim, garantir que todos tenham a oportunidade de crescimento. O objetivo final é a satisfação e o crescimento do servidor e do Poder Judiciário em todos os aspectos", explicou.
O diretor do Foro de Paraíso, juiz Esmar Custódio Vêncio Filho, garantiu o envolvimento da comarca com o projeto. "A iniciativa vem para nos capacitar, melhorar a qualidade dos nossos serviços, vamos nos empenhar e seguir essas orientações. Sabemos que é um programa para produzir melhorias e tornar o Poder Judiciário do Tocantins uma referência para o país", afirmou o magistrado.
Os servidores também saíram com muitas expectativas, como a assessora Jurídica Maria do Socorro Bueno. "É o caminho para uma maior valorização do servidor. Na medida em que será cobrada mais qualidade, também será dada mais oportunidade de crescimento", disse após a reunião de sensibilização.
A conciliadora Tânia Rezende também ficou empolgada com a proposta. "Devemos todos nos empenharmos para por esse projeto em prática, pois vai fazer uma grande diferença para nós".
Como nas demais comarcas, o trabalho de sensibilização foi desenvolvido pelas integrantes do Comitê de Implantação do projeto, juíza Silvana Parfieniuk e as servidoras Maria Luíza Nascimento e Leila Maia.
Só na última semana a equipe percorreu as comarcas de Ananás, Wanderlândia, Araguaína, Arapoema, Colinas, Miranorte, Cristalândia e Araguacema, concluindo com Paraíso e Pium.

Gestão por Competências
O projeto está na fase da avaliação de competências, que segue até o dia 10 de novembro, e permitirá que cada servidor e gestor atuantes na área finalística indiquem quais competências (técnicas e comportamentais) já possuem o nível suficiente para o exercício de seu trabalho e ainda em quais dos conhecimentos há necessidade de mais desenvolvimento.
Todos os servidores da área finalística (Comarcas, Diretoria Judiciária, Secretarias de Câmaras e Secretaria do Tribunal Pleno) receberam instruções em seus e-mails institucionais e no portal do servidor para realizarem sua autoavaliação.
O projeto, iniciado ainda no mês janeiro deste ano, já concluiu várias etapas. A primeira foi o Planejamento Interno, reunião de Planejamento, entrevista com a alta direção e apresentação para o Comitê Estratégico. Na segunda fase do Projeto, mapeou-se 100% das competências comportamentais dos servidores da instituição. Já na terceira fase, o Projeto descreveu as funções/papeis da instituição com coleta de dados e realizou o mapeamento das competências técnicas, que na sequência foram validadas.