Nesta quinta-feira (16/2), magistrados e servidores participam das atividades do I Curso de Formação de Instrutores da Oficina de Parentalidade e Divórcio, uma iniciativa promovida pelo Poder Judiciário, por meio da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), e segue até sexta-feira (17/2).

A ação, desenvolvida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como política pública de prevenção e resolução dos conflitos familiares, teve como principal objetivo a capacitação de instrutores.

A coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), juíza Umbelina Lopes, ressaltou a importância da iniciativa. “É mais um investimento nas políticas de promoção da cultura da paz e do diálogo. Incentivamos as boas práticas parentais estimulando as famílias a entenderem os efeitos do conflito de um modo diferente”, afirmou.

A juíza Vanessa Aufiero da Rocha, do Tribunal de Justiça de São Paulo, ministrou palestra sobre a importância das oficinas de parentalidade para a propagação do diálogo, e avaliou a atuação do Judiciário tocantinense no tratamento adequado de conflitos. “No Tocantins vemos a institucionalização de ferramentas importantes para a mediação e a conciliação, destacando a Justiça estadual nacionalmente pela disseminação da cultura de paz. O suporte e os investimentos que observamos aqui são únicos”.

Da Comarca de Ananás, a escrivã Ariné Monteiro de Sousa, que também atua como conciliadora, participou da Oficina e avaliou positivamente a iniciativa. “Cheguei ao evento com várias expectativas, e todas foram superadas. Vale destacar a importância de levarmos as informações obtidas aos jurisdicionados das comarcas do interior”, concluiu.

Programação

As psicólogas Fabiana Cristina Aidar da Silva e Cristina Palason Moreira Cotrim, colaboradoras da Oficina de Pais e Filhos do CNJ, também ministram atividades durante o I Curso de Formação de Instrutores da Oficina de Parentalidade e Divórcio. A programação do segue durante a tarde dessa quinta-feira com palestras sobre alienação parental, comunicação não violenta e empatia.

Já na sexta-feira (17/2), a programação segue até às 12h30 com apresentações de resultados práticos.

 

Maria Gabriela – Cecom/TJTO

Foto: Ednan Cavalcante - Esmat